Terinha Trovoada

Como se diz em bom português, só faz falta quem cá está. E quem ficou merecia toda a nossa entrega e profissionalismo. No meio dos resistentes que ainda queriam mais bluegrass, avistámos bastante amigos que se amontoavam junto ao palco. Uns eram portugueses, emigrados por aquelas bandas e outros eram companheiros de outras bandas. Havia malta dos Kentucky Cow Tippers, dos Wire & Wool, dos Rawhide e dos Tumble Reeds, uma banda portuguesa estreante em La Roche. Ao todo umas quantas dezenas de pessoas, mais do que o suficiente para fazer a festa.

13939506_1523479917677538_8802546147231011237_n1

Photo: Emmanuel Martin

E para cantar para toda aquela massa humana levámos a Terinha Trovoada, também conhecida como Ana Margarida, uma fadista da margem sul que ia pela primeira vez cantar Bluegrass. Mal o espetáculo começou a nossa debutante leading lady segurou o toro pelos cornos e deu-lhe um pontapé nos tomates. Laçou os foguetes, apanhou as canas e até cantou o fado! Na plateia o pessoal estava ao rubro. Cantavam refrões, faziam o comboio e mandavam piropos, contagiados pela alegria do recém-esgalhado fadograss e pela cidra à pressão. A noite de sábado terminou em festa, pois pela segunda vez em três dias, houve Trovoada em La Roche.

This entry was posted in E assim foi and tagged , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s